terça-feira, 30 de outubro de 2007

Poema

Desabafo
Ao perscrutar os segundos
da vida que lhe escorria,
julgou que seu dia-adia
era uma soma de escombros:
cacos de rotina fria
pesando sobre seus ombros.



Poema retirado do desabafo "Sem assunto 2", de Ana. A Ninha do ninhodaninha.

4 comentários:

Ana disse...

Nossa, estou me sentindo honrada! Bom demais fazer um desabafo e ler um poema com essa qualidade no retorno...
Mais uma vez, matou a pau. Que talento, menino!

Ah, e vc teve outra boa sacada entre meus textos. Olhar de águia, ótimo leitor.

Dimas Lins disse...

Josias,

Você anda matando a pau! E ainda pegar um excelente texto e conseguir dar-lhe a sua visão.

Excelente.

Ah, participo de uma lista de e-mail chamada "Sexta-feira: poesia!" onde as pessoas mandam poesias toda sexta de qualquer autor, conhecido ou não. Semana passada mandei uma poesia pela primeira vez e escolhi o seu poema "Após a capital queda" para estreiar.

Descobri, através de Cláudio machado, que lhe conheci pessoalmente numa noite no Paraíso da Carne de Sol, quando tomávamos umas e outras depois do jogo do Santinha. eita mundo encolhido!

Dimas

Felipe Pimentel Lopes de Melo disse...

Professor, você é um poeteiro de primeira. Que lindo isso aqui, héin?

Josias de Paula Jr. disse...

Ana, antes de mais nada, obrigado pela outorga de qualidade. Porém, não nos esqueçamos, não se faz poema em cima de qualquer texto. E a fonte foi você!

Dimas, obrigado pela preferência na Sexta-feira: poesia!". Como se faz para participar? Gostaria muito de ter acesso.
E sabia que já nos tínhamos visto, sim!

Felipe, homem dos charcos, florestas, manguezais e congêneres: a verdade é que nunca tive oportunidade de caçar qualquer animal numa floresta caribenha!