quarta-feira, 5 de março de 2008

Poema


Meu verbo



Tal é meu verbo

como o enxergo:


nunca suprime

o que não entrego;

nem se redime

no que eu renego.

2 comentários:

Anônimo disse...

então acho que ainda tem muita coisa a ser feita né? verbo nelas! escreva!

Ana disse...

Teu verbo é completo, complexo, repleto. E viva o verbo!