domingo, 11 de novembro de 2007

Dialéticas

Apenas o escorpião, além do homem, suicida-se.
Suicida-se unicamente, e sempre, quando está cercado por fogo.
Ah, o livre arbítrio!
A liberdade humana...
Que se daria
se fôssemos escravos da rígida disciplina
cromossomática daqueles insetos?

3 comentários:

Dimas Lins disse...

Não sabia desta história do escorpião. Fico imaginando um trauma coletivo de toda uma espécie.

Ainda bem que há o livre arbítrio. Devemos ser escravos apenas da nossa consciência.

Um abraço,

Dimas

Felipe Pimentel Lopes de Melo disse...

cromossômica mesmo é o instinto de viver.

Josias de Paula Jr. disse...

Essa relação livre arbítrio versus instinto sempre me intrigou...

Felipe, e os suicidas? E o desejo de morte tão humano?