terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Poema


Poeminha de guardanapo

Meu desejo por ti é inútil;
entre nós há o tabu e o mito!
Porém, acaso não é fortuito
a essência de tal interdito?

Entendo que tenhas medo
e ao meu contato te esquives;
Só discordo quando dizes:
“Não há amor em segredo!”

2 comentários:

rita disse...

Alguém anda a construir escada para os meus sonhos. Adoro seus poemas.

Ana disse...

Muito gostoso de ler, Josias! Passei um tempo sem tempo, e agora vejo a beleza que perdi aqui em teu blog. Deixa estar: vou recuperar o tempo...