quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Poema


Noite

Na noite fria
passo
a passos rápidos
na rua escura
piso de leve
pra que ninguém ouça
pra que ninguém veja
que passo
na noite escura
a passos rápidos
despedaçado

4 comentários:

Ana disse...

Caraca, Josias, gosto muito desse poema, desse estilo! Lembra-me o Álvaro de Campos do Fernando Pessoa. Já leu O Livro do Desassossego?

Dimas Lins disse...

Geó,

Um poema melancólico que nos leva a pensar na solidão e na dor da alma.

Simples, direto e preciso.

Muito bom, como sempre.

Dimas

o outro disse...

na noite quente
passo
a passos lentos
na calçada iluminada
piso de salto alto
néon ambulante
para que todos me vejam
para que todos me escutem
que passo
na noite quente
a passos lentos
procurando amor

Josias de Paula Jr. disse...

Ana, obrigadíssimo pela comparação do estilo! Quanto ao livro, já li sim. Eu gosto muito de Pessoa.

Dimas, andam muitos a dizer que eu sou melancólico... não sei por quê! rsrsrs

Outro, gostei bastante dessa sua resposta. "Poema urbano", de toque feminino (ou quase).